a revolução não será televisionada

Nos anos 70, Gil Scott-Heron proclamou que “a revolução não será televisionada”, e este conceito continua atual até os dias de hoje. Mas há quem subverta a ordem do mestre Scott-Heron e use a televisão para revolucionar, caso do paulistano Ricardo Tatoo. Ele, que foi grafiteiro nos anos 80, posteriormente diretor de arte de grifes como Cavalera e Vision, abrirá uma exposição no dia 30/04 a partir das 19h no Coletivo Galeria (r. dos Pinheiros, 493 – São Paulo/SP). Com o nome de TV Kills – Arte Ataque!, ele dá seu recado usando ícones da mídia de massa através de stencil, serigrafia e lambe-lambe. Em seu site, Ricardo vende algumas de suas criações através de camisetas que estampam ícones como Seu Madruga, Bob Marley, Chacrinha e Ramones.

A exposição vai até o dia 24/05 (de terça a sexta das 15h às 21h e sábado das 14h às 19h), sendo que às 17h do dia 17/05 haverá um bate-papo com o artista, que já assinou trabalhos para bandas como Sepultura, Inocentes, Cordel do Fogo Encantado, Rodox, Nitrominds e Flicts. A revolução pode não ser televisionada, mas que a TV rende assunto pra revolução/ões, isso ninguém pode negar!


e a televisão, será revolucionada? Alguém aí responde? Alberto? Bob? Madruga? Chacra?

Comentar via site Faces

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *