don’t call me nigger, whitey!

Don’t call me whitey, nigger!

Ice-T & seu Body Count e Perry Farrell & seu Jane’s Addiction mandando ver Don’t Call Me Nigger, Whitey, presente no álbum Stand!, de 1969, do Sly & the Family Stone.

Ele mudaram um pouco a letra original, mas a mensagem é a mesma: racismo, não!

Comentar via site Faces

comentários

8 thoughts on “don’t call me nigger, whitey!

  1. vixi, Anderson, será que os organizadores sabem disso?

    é muito longe de Teresina? será que nego não faz excursão? sei lá, são duas bandas gringas, né.. mas valeu o recado aí rapá, aos poucos vamos sabendo um pouquinho de cada cantinho do Brasil!
    🙂

  2. Ei, eu posso comentar sobre o post anterior?

    Sou daki de Teresina e entendo completamente a vinda de Bandas como o Master pra Teresina, existe público prum show assim.

    Agora uma coisa que me pergunto desde q vi todas as datas da turnê: q Porra eles vão fazer em Picos? lá só rola forró e variantes dos Cãozinho dos teclados, e Bode cozido assado e demais variantes. Prum show de cover da Legião Urbana, quase num dá ninguém…
    Isso pq trabalhei um ano lá, dando aula, voltava pra Teresina correndo, definitivamente essa vida de interior não é pra mim..
    Sem rock não dá pra viver…

    Sei lá certas coisas que definitivamente não entendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *