Lista chiveta – Discos 2015

Alguém precisa falar: NÃO EXISTE LISTA DE MELHORES DO ANO, tendeu?

fror

O que é MELHOR pra mim, não é MELHOR pra você ou o contrário, então #caguei pra listas de melhores do mesmo jeito que #caguei pra sua vida ~perfeita~ nas Redes Sociais 😉

familia

Lista de Melhores, de um tempo pra cá, me soa como as Redes Sociais, muito ego, pouca espontaneidade, muitos tapinhas nas costas, coleguismo, troca de favores, sei lá ZzZzZzZz

john travolta confuso

Fora aquela galera que quer colocar só o que NINGUÉM CONHECE, PQ NOSSA COMO CÊ É FODAUM HEIN ZzZzZzZzZz

fodaum

E aqueles blogs, portais, sites que fazem média com tudo e todos e colocam listas gigantes só pra todos os citados divulgarem e eles ganharem cliques ZzZzZzZzZzZz

macacos

Mas, ó, tal qual em 2014, fiz aqui uma listinha com o que eu mais gostei, EU, não você, não a Dilma, não o zelador do meu prédio – mas, ó, coloque nos comentários os discos que você mais gostou, essas listas sim me interessam, não as que circulam por aí! 😉

computador

Tinha feito uma listinha e dias depois encontrei uma pessoa que admiro demais o trabalho e ela me disse algo como que dificilmente vai atrás de alguma banda que são indicadas por aí, mas que quando eu coloco tem outro peso e a faz conferir, independente de depois gostar ou não, e foi bem legal ouvir isso – agradeço ela aqui [talvez ela nem leia], e seguem abaixo então dicas de álbuns que me agradaram. ps* blogueiros que forem fazer outras listas, podem copiar a vontade, RISOS

computadores

Vamos aos meus PREDILETOS de 2015, pensando muito rapidamente e sem espiar listas alheias!

musica

Ghost – Meliora
AMO Ghost e ENTENDO quem ODEIA! É ~satanismo~ pras massas! Gente, não se levem tão a sério e não levem as coisas tão ao pé da letra, PFVR! É satanisminho de brinks. É heavy metal pop, grudento, eu fico com várias canções na cabeça [sabe quando o refrão vem bem na hora da missa? risos] e assim que começam a tocar eu canto junto adorando o cramunhão, risos. Ora que Meliora! [mais: ghost-official.com]

ghost meliora

Loromudo – Equality
Esse EP chegou aqui aos 45 do segundo tempo e já dei vários repeats [queria estar baixando #comofas]. Seguinte, o Loromudo é um trio de Bragança Paulista/SP que tem a sua frente Fernando Maranho [guitarra/voz], que já passou por Cérebro Eletrônico e Jumbo Elektro, e dois membros do Leptospirose: Serginho [bateria] e Velhote [baixo]. Este último entrou no lugar do parça Japa, baixista do Merda, que ajudou a formar o trio em 2014, mas não ficou para gravar o material oficial. Equality foi gravado e produzido pela própria banda ao melhor estilo do it yourself e traz três canções roqueiras e ainda que em inglês extremamente contagiantes. Riot Hangover é minha predileta, tem peso, swing e um refrão que após ouvido me acompanhou em diferentes momentos ao longo do meu dia. Não sei dizer se eles chamam o som de rock alternativo, eu diria que é uma boa alternativa a um monte de porcaria que andei vendo/ouvindo por aí. Tem uma cara anos 90, algo entre o grunge e o stoner – mas sem atravessar a linha do metal. Que venha um disco cheio! [mais: facebook.com/loromudo | www.loromudo.com.br | soundcloud.com]

Maguerbes – Futuro
Ter mais de duas décadas ininterruptas vivendo o cenário independente brasileiro, é uma linha no currículo de poucas, beeeeeem poucas bandas. Fazendo isso de uma maneira que [me] soe sincera, então! Acho [não fui no Google pesquisar, DSCLP] que é o quarto disco do grupo de Americana/SP e ele é um agradecimento a vida. A gente sente meio que uma ~culpa~ de agradecer as coisas boas, né? E o Maguerbes me ensinou que isso pode ser feito de um jeito natural, bonito e sem soar piegas. O disco foi gravado no TOTH e no Inferno Club e produzido por eles e pelos jovens guitarristas do Bullet Bane [Danilo Souza e Fernando Uehara] tem 10 faixas e uma arte linda assinada pelo frontmano Haroldo Paranhos. Sem seguir regras, o quinteto tem referências de hardcore e metal, seja na cadência ou harmonias, somando o do it youself, tanto do punk quanto da street art. Obrigado Vida, obrigado Haroldo, Tuti, Rica, Julio, Fabrizio & HBB Records [hbbrecords.com] por me darem um oásis num ano de seca. Fi, Maguerbes, fi! ps* plante a semente de papoula que vem no disco e faça ópio, risos. [mais: facebook.com/maguerbes]

obrigado vida

Napalm Death – Apex Predator – Easy Meat
Precisa falar algo? É Napalm fucking Death, mores! Gosto deles mais do que de batata frita e Nutella. Acho Napalm Death mais relevante na história da ~música pesada mundial~ do que Iron Maiden, por exemplo. Acho mais subversivo do que Bad Religion [e bandas influenciadas por]. Eu tenho CERTEZA que o Barney, o Shane, o Mitch e o Danny são mais de verdade do que o vocalista da sua banda brasileira predileta de hardcore. [mais: napalmdeath.org]

barney_greenway_fofo

Send More Hate – Send More Hate
Colocar o Send More Hate na sequência do Napalm Death é importante pra mim, mais do que pra eles. O disco homônimo do conjunto cascavelense é um frescor para os meus ouvidos em meio ao emaranhado de links de discos que sou bombardeado por bandas todos os dias. Quando escrevi aqui sobre o SMH eu disse que me parece um split, dividido ao meio, inclusive a sétima faixa é uma intro, e nem tinha me dado conta dessa semelhança com o Scum que também é, de certa forma, um split, né mores?! Manda ódio, não manda nudes, manda sujeira crust e grindcore. Baixe e toque na noite de Natal quando a família estiver reunida trocando presentes que elas não precisam. [mais: facebook.com/sendmorehate | baixe aqui]

The Shrine – Rare Breed
Trio acho que é meu formato predileto de banda e o The Shrine é assim, e é irônico, e é pesado e tem senso de humor sem ser YouTuber, tem sujeira e um visual #importante transado. Rare Breed me soa um pouco diferente, tem até uma OLAR balada OLAR???? O solo de guitarra Pull The Trigger antecede ela, que se chama Dusted And Busted e se encaixa PERFEITAMENTE na cannábica viajandona Space Stepping, que por sua vez é a última do disco – e aí você vai e dá play de novo. Death To Invaders já me fez, sem querer, foi mais forte que eu JURO pessoas, cantar alto no metrô e ganhar olhares de reprovação. Sou desses. [mais: facebook.com/theshrinefuzz]

the shrine rare breed

Fuzz – II
Psicodelia, mores! Sujeira garageira e riffs transados ao longo de 14 canções. Parece que cada vez que alguém dá play em Rat Race uma música da Claudia Leitte é apagada do mundo, risos. Cada vez que alguém para pra ouvir Red Flag, um YouTuber é lançado de catapulta para fora do planeta. Se é verdade ou não, sei lá, mas tenho escutado o disco sempre que possível. Ty Segall é o ~cerebrinho~ por trás do Fuzz e me parece ser o tipo de pessoa que não liga pra likes, números de visualizações ou ~amigos~ barra ~seguidores~ sabe?! II é o segundo álbum do Fuzz e tem uma capa p&b tão linda quanto a coloridona horrível do anterior. Dei like, compartilhei e me inscevi no canal! Risos. [mais: facebook.com/Fuzz]

fuzz ii

Garage Fuzz – Fast Relief
Acho que eu tinha entre 16 e 18 anos quando Relax In Your Favorite Chair foi lançado. E sabe uma coisa marcante pra mim? Tinha pra vender no Carrefour! Com exceção de Iron Maiden, acho que era um dos poucos discos que eu conseguia ver na Galeria do Rock suja, feia e com escadas rolantes que não funcionavam e em grandes lojas de departamento e supermercados. Penso que o Garage Fuzz seja o único nome no hardcore brasileiro que tenha uma carreira impecável – sem altos e baixos, manja? Você escuta Fast Relief e é o Garage Fuzz de sempre, mas sempre melhorado, dá pra entender isso?! A faixa título, Blockhead e Your Not So Real Life talvez sejam as minhas favoritas. Se o mundo tivesse mais Farofas, tenho certeza que seria um lugar melhor. [mais: facebook.com/garagefuzz] ps* estou escutando este disco enquanto faço o post.

Deb And The Mentals – Feel The Mantra
Deborah Babilônia é uma deusa, uma louca, uma feiticeira, tal qual Joan Jett, Courtney Love, Brody Dalle ou Laura Jane Grace. Ao lado de seus Mentals, ela bota pra quebrar com RRRRRRRRRRock transante e altamente explosivo – experimente conferir ao vivo e depois me fale! O EP Feel The Mantra tem quatro pérolas roqueiras prontas para serem jogadas aos porcos: Take It Away DEVERIA entrar na trilha sonora de algum clássico da Sessão da Tarde numa cena de perseguição, manja adrenalina?! Capilé [Sugar Kane, Water Rats] produziu o disquinho no Estúdio Costella, em São Paulo Rock City. Baixem e levem D&TM pra sua cidade! [mais: debandthementals.bandcamp.com | facebook.com/debandthementals]

deb and the mentals

Framboesas Radioativas – Gastropoda
Girls to the front! Mais um EP gravado no Costella, deste vez por Chuck Hipolitho. Gastropoda é do trio bragantino Framboesas Radioativas e é daqueles que despertam fagulhas em quem ouve. Tenho certeza que Marina Salles [guitarra/voz], Marina Tasca [baixo/voz] e Sofia Carnieli [bateria/voz] influenciam/influenciarão outras meninas a formarem bandas, que influenciarão outras e assim por diante. Energia espontaneamente punk rocker, senso de humor e nonsense. I.D.K e X me fazem aumentar o volume. Joinha. [mais: framboesasradioativas.bandcamp.com/gastropoda | facebook.com/Framboesas-Radioativas]

gastropoda

Anitta – Bang
Vou confessar que não ouvi o disco inteiro, só o ~single~ Bang. Que canção pop maravilinda, mores! Que clipe simples, bonito, moderno sem ser babaca. Que ritmo contagiante. Anitta >>> Beyoncé fácil!

anitta bang
anitta poderosa band
anitta coreografia bang

Tirei Zero – Tirei Zero
Goiânia Rock City, tá ligado?! Nota 10 com estrelinha na testa pro Tirei Zero e seu autointitulado disco. Skate punk feio, sujo, podrinho, diliça, tipo cutucar casquinha de ferida no joelho, saca?! É feio, mas é bão! Quinze faixas que não chegam a dois minutos, a vida é curta, fi, e os menino são hardcore, não prog metal. A treta é real, na Vila, não num mundo encantado com dragões. O baguio é Black Flag, não Blind Guardian, né mores?! Dia A Dia tem um frase que, não importa sua idade, é slogan pra vida: tem dia que é uma merda, tem dia que é uma droga, em casa, no trabalho, no busão e na escola. Citações/referências a Racionais MCs, GG Allin e ROT. A capa/arte de Diogo Rustoff [rustoff.tumblr.com] é a cereja do bolo. [mais: tireizero.bandcamp.com | facebook.com/Tirei-Zero]

cd tirei zero tirei zero

Drakula – Death Surf
Daniel ETÊ ponto. É meu artista predileto desde 1990E-NÃO-TINHA-INTERNET-AINDA-NO-BRASIL quando vi os rabiscos podres, as caveiras horríveis com gosmas verdes que ele faz. Seu conjunto Drakula lançou um vinil 7 polegadas este ano que leva o nome de Death Surf e que tem música podre para caveiras horríveis dançarem até sair gosmas verdes de seus orifícios [OLAR?] Surf punk e garage rock em formato de quatro canções, incluindo uma versão para Lado de Fora, do grupo campineiro crássico Grease, referência para roqueiros guitarreiros noventeiros. Um dos mascarados do Drakula me lembrou que eu tava na gravação lá no Costella com o migo Chuck Hipolitho. Ah, o vinil tem tiragem de 400 cópias numeradas – tô avisando porque esses tempos me procuraram querendo o anterior, Vilipêndio a Cadáver, e fiquei sabendo pela banda que tá esgotado! #ficadica [facebook.com/drakula.banda + drakulaband.bandcamp.com]

Drakula ETE

É isso, xuventude, esta foi uma lista que fiz quase que de cabeça & coração. Mas, REPETINDO, não é uma lista de MELHORES e sim de PREDILETOS, AAAAAAAND, não se esqueça, coloque nos comentários os discos que VOCÊ mais gostou, essas listas sim vão me interessar de verdade, não as que circulam por aí, beijos! 😉

sasha grey happy

Não deixem de transar, dar likes, criar números, alimentar egos, risos: facebook.com/ChivetaZine | instagram.com/chiveta + chiveta camelô online clique e transe compras

chiveta melhores 2015

Notícias relacionadas:
Lista chiveta – Discos 2014

chivetapontoiluriapontocom

Comentar via site Faces

comentários

32 thoughts on “Lista chiveta – Discos 2015

  1. Bela lista amiguito!

    Tirei Zero é demais, Magüerbes representou fi! e o show deles está DEMAIS! Garage Fuzz a cada dia que ouço percebo um detalhe novo nas músicas que não tinha sacado antes, mestres. E Ghost AINDA não ouvi (sim, demoro).

    Vou tentar pensar na minha lista do ano, sou péssimo nisso também, ouvi muita coisa.

    Empate foi uma grata surpresa, não conhecia o som dos caras. Nada em Vão chegou com um disco ultra positivo e bom de ouvir, magnífico. E um que eu ouvi demais durante quase a metade do ano foi o novo do All Eyes West, Doomer.

    Ótimo ano pra você amiguito! Tudo de bão.

    PS.: Adorei o termo ali em cima “bandas gorduratrans”, mesmo não entendo ele hahahahahaha

    • amiguito! <3

      Garage Fuzz tá tipo Kinder Ovo, com surpresinhas ahahah 🙂

      Empate poder estar na minha lista aqui, falei deles até, mas MIM esqueci na hora de listar :/
      Nada Em vão, belo conjunto!

      valeu da dica do All Eyes West, vou conferir depois!

      ahahahahah ~gorduratrans~ pode ser um novo gênero musical, estamos por fora! ahahha

      ótimo ano procê também e pra amiguita! <3

      * editando: amiguito, acabo de descobrir que gorduratrans é o nome de uma banda e não um termo ahahaha bem boa a banda incluisve: https://bichanorecords.bandcamp.com/album/repert-rio-infind-vel-de-dolorosas-piadas

    • ahahah é sempre assim, Christiano! 😉

      vou dar uma sacada nas paradas que você falou, valeu a dica!

      aliás, QUE ARTE LYMDRA desse RattBlack, hein?!?! U-A-U, dei play aqui, thrashão dusbão!

      Fukai botei aqui uns meses atrás! 🙂

  2. Amigorrr! Aí vai o que mais andei escutando e que saiu esse ano. A ordem não é exatamente essa (e pouco importa também, né?), mas listei aí que ouvi pra caramba:

    – Ghost – Meliora
    – Slayer – Repentless
    – Motörhead – Bad Magic
    – Death – N.E.W.
    – Boring Assholes – We All Wanna Die
    – Triste Realidad – Borderline
    – The Shrine – Rare Breed
    – Estas Muerta Perra – Canciones Cortas Para No Perder Tiempo
    – Black Breath – Slaves Beyond Death
    – Antiga Roll – Zumbi do Bar
    – High on Fire – Luminiferous
    – Eagles of Death Metal – Zipper Down
    – Chvrches – Every Open Eye
    – Olga (Toy Dolls) – Olgacoustic
    – Against Me! – 23 Live Sex Acts
    – Dopethrone – Hochelaga

    • aeee te intimei a fazer sua listinha e deu certo, cê caprichou! ahahahah
      várias paradas aí que nem manjo, valeu as dicas, vou atrás! 🙂

      ih, MIM ESQUECI do Against me na minha lista e ouvi PARA CACETA! #chatiado agora! ahahahah

  3. Fiz uma lista daquilo que eu realmente ouvi, mas cheia de coleguismo e coisas desconhecidas para me achar o fodão.

    1. Static Control – Demo. De lançamento nacional, realmente essa fitinha fez o coração bater mais forte e fez minhas memórias voltarem a tona, para fãs de 7 Seconds velho.

    2. B’urst! – Promo Tape. Se o Venom e o Slapshot fizessem um projeto, o resultado seria algo parecido, mas não tão bom quanto essa fitinha de apenas 2 músicas e muita, mas muita maldade mesmo.

    3. Bib – Demo 2015. Se você não for burro, deixar de lado o nome da banda horroroso e acreditar no que eu escrevo, você terá a oportunidade de ouvir o melhor do hardcore americano e japonês em uma única banda.

    4. Somnol – Essa demo foi lançada no fim de 2014 início desse ano, mas controvérsias temporais a parte, essa dupla fez mais pelo death metal underground do que qualquer banda atual do selo Metal Blade em todo seu catalogo de 2015.

    5. Line of Sight – Demo 2015. E se o Pat Dubar ainda tivesse banda de hardcore nos dias atuais e lançando fita? Sei lá o que viria, mas com certeza não seria tão bom quanto esses caras de Washington.

    • pohan, Alan, demais seu comentário, esse é o tipo de ~coleguismo~ e ~fodãozismo~ (OLAR?!) que tá liberado ahahha

      valeu demais, vou atrás pra ouvir suas dicas, até porque o texto me deixou bem curioso pra ouvir o Somnol, por exemplo! 🙂
      valeu mesmo!

  4. Rirei Zero é muito loko. Esse Napalm eu abaxei pro meu irmão e curti ele.

    Cara, minha lista começa com os Fi, esse disco deles me surpreendeu absurdamente.
    Sonhos Corrompidos do Flicts.
    Pobre Povo do Oitão.

    Lembrei desses agora e são os que eu estou ouvindo mais seguido.

  5. eu sou péssimo com listas pq eu nunca lembro se o disco q eu gosto bastante é do ano vigente ou foi lançado há 3 anos atrás, sempre tentei fazer essas listas no empreitada mas nunca dava certo 🙁

    Napalm é sempre bom, novo, véio!

    da sua lista o Tirei Zero, me foi uma grata supresa!

    Feliz férias abigor!

    • ahahahah sei como é amigor Testa!
      eu não curto muito fazer essas listas porque sempre fica algo de fora!

      Napalm sempre será bom! Tirei Zero é lindimais! 😉

      nóis total, amigor!

  6. CARA, que ótima lista, só coisa boa, estou conhecendo e ouvindo o Loromudo aqui. Curtindo!
    Eu tenho bode com lista, porque sempre fico naquela “esse disco é desse ano ou do ano passado?”, hehehe, mas segue abaixo o que mais ouvi (ou o que eu lembro) desse ano.
    Garage Fuzz – Fast Relief
    Magüerbes – Futuro
    Nada em Vão – s/t
    Black Alien – No princípio era o verbo
    Refused – Freedom
    Radkey – Dark Black Makeup
    Hop Along – Painted Shut
    Devo ter esquecido de alguma coisa, hehe, esse do The Shrine é muito foda, mas tou começando a ouvir melhor agora.
    Abração, Tibiu!

    • que demais sua lista, Arthur!!
      já tô dando um confere no Hop Along e curtindo! depois vou atrás dos outros que não ouvi ainda: Radkey (pohan, que banda!!!), Refused (que tenho certeza tá bão) e Black Alien (méééééstre!)

      sempre rola isso de ~será que é desse ano ou do ano passado?~ ahahaha normal!

      Loromudo foi uma surpresa boa pra mim!! 🙂

      • Eu acho o Hop Along muito bão, a voz dessa mina é demais!
        Esses do Radkey e o do Refused eu achei inferiores aos anteriores das duas bandas, mas mesmo assim muito bons!
        Pra mim, Black Alien > Kanye West, hehehe.

        • bem legal mesmo a voz dela, Arthur, gostei! 🙂

          ainda não fui conferir os R&R!

          aaaaaah, Black Alien >>>>>>>>>>>>>>>>>>> Kanye West, totaaaaaal! ahahahah

  7. Napalm sempre supera as expectativas… concordo em tudo aí. Garage consegue soar cada vez mais bonito cada disco que grava… e um segundo disco do FUZZ eu não sabia.. vou buscar esse. Tirei Zero baita banda… assisti aqui na kombi numa madrugada alcólica no centrão de sp nesse ano.. bomdimais!
    Anita bicho, essa droga é pesada demais pra mim, ultrapassa meus limites heheh.. mas se foi você que disse eu acredito.
    passa a régua, chama a conta, mas eu esqueci a carteira em 2014, vou ali e já volto.
    abraaaaço Jovem!

    • Napalm 100pre, né Chã?! 😉

      tá maravilindo esse disco do Fuzz, tenho certeza que cê vai curtir!

      o TZ foi na Virada ~gutural~ né? Palco lixo do Test, perdi 🙁

      Anitta é altamente apreciável em termos de música pop brasileira, amigor, ela só precisava de melhores letristas, sério!

      minha carteira deve tá junto da sua lá em 2014, ou 13 ahahahah
      nóis, mestre! <3

  8. Além de Garage Fuzz e Maguerbes, gostei muito dos discos/eps/sei-la-oq das bandas gorduratrans, Empate e Horace Green. Abraço, feliz ano novo.

    • ~bandas gorduratrans~ que exótico 😉
      valeu, Diego!! 🙂

      tudjibão pra você também! <3

      * editando, acabo de descobrir que gorduratrans é uma banda e não um termo que usou! 🙂
      aliás, bem boa a banda, valeu a dica, Diego! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *